O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

  -       
Um valor é necessário. Um valor é necessário.

Anuncie conosco e
divulgue seus serviços

Veja Como

 Dicas para Iniciantes
 
Dica
Ver
Dica
Ver
Introdução
 
Vitaminas
 
O plantel
 
Muda de Penas
 
Gaiolas
 
Muda nos Filhotes
 
Acessórios e Utensílios
 
Ave Saudável
 
Reprodução
 
Recado ao Criador Iniciante
 
Postura
 
Dicas Importantes
 
Incubação
 
Sementes
 
Eclosão
 
Nutrição
 
Separação dos Filhotes
 
Composição
 
Recomendações Complementares
 
Alimentação
 


INTRODUÇÃO
 
Os canários, são originários das Ilhas Canárias, situada ao Noroeste da África, depois de sofrerem várias modificações e transformações, tanto no porte e na cor, se tornaram uma ave doméstica. Para iniciar uma criação temos que pensar onde será instalado o criadouro, que poderá ser em qualquer canto sossegado da sua casa desde que não haja mudanças bruscas de temperatura nem correntes de ar. O ideal seria num quarto só para os canários. Caso esse local não bata sol, coloque uma lâmpada fluorescente. Para você ter sucesso na sua criação, todos os procedimentos como iluminação, local, as gaiolas, o casal (matrizes), filhotes, tudo isso é muito bonito, mas o que fará com que tenha realmente sucesso é a higiene (limpeza). Não descuide desse item, manter limpo o local onde ficam as gaiolas, os poleiros, a alimentação. Sendo assim só terá pássaros sadios sem problema de doenças.
 

O PLANTEL
 
Quando se decide criar canários, deve-se procurar começar com um número pequeno de casais no máximo ( 5 casais ) e sempre adquiri-los de um criador conhecido, não adquira por ser mais barato e sim por ser saudável. Deverá começar com pássaros jovens, procure adquirir aves saudáveis sem defeito físico, que não esteja triste ou não voe, ela deverá estar alerta, saltitante, nunca encolhida em um canto. Dando a ele espaço para desenvolver-se em ambiente limpo e saudável, terá muitas alegrias com seu plantel. Em cativeiro foram conseguidas várias combinações de cores, é um pássaro de procriação muito fácil. Quando adquirir um novo exemplar, não misture com os seus, sem que antes tenha passado por um período de observação.
 

Acessórios e Utensílios
 
Com relação aos poleiros, sua espessura deve ser suficiente para que o pássaro os agarre sem ficar com os dedos muito abertos, nem encontrando um com o outro por baixo dos mesmos. Eles devem ser retirados e lavados e se possível, trocados a cada 15 dias. Os comedouros e bebedouros devem ser mantidos sempre bem limpos. Nos comedouros, peneirar 1 vez por semana para retirar o pó que acomula no fundo. Os bebedouros nunca deixar acomular ( limo ) uma crosta, coloca-los de molho em uma solução de 10 litros de água por 5 colheres de ( cloro ) depois lavar muito bem.
 

Reprodução
 
A reprodução dos canários acontece entre os meses de agosto a dezembro. Normalmente faz-se o acasalamento na segunda quinzena de Julho para que, no início de agosto, já possam ser observadas as primeiras posturas.

O ninho adequado é aquele em forma de taça, com forro de espuma ou flanela. Na hora de escolher os casais, certifique-se de que o macho esteja cantando vigorosamente e de que a fêmea esteja ( pronta ). Assim evitará posturas de ovos não fertilizados e perda de tempo. Para as fêmeas confeccionarem seus ninhos indico o ( Saco de Batata ) pode ser adquirido em Mercados, Sacolão etc. depois de bem lavados e cortados em tiras ( pedaços ) com aproximadamente 5cm x 5cm colocar umas 4 tiras pendurados dentro da gaiola, com esse material ela confeccionará o ninho.
 

Postura
 
Normalmente uma canária põem de 3 a 4 ovos em dias seguidos, as vezes pode ocorrer intervalo de um dia entre um ovo e outro. Entre 6 e 7 horas da manhã a canária realiza a postura, não é conveniente entrar no criadouro muito cedo. A medida que os ovos são postos devem ser retirados e substituídos por "ovos indez" (ovos plásticos) e colocados em um pequeno recepiente em plástico, louça, contendo mistura de sementes, ou algodão, servirá para acondicionar os ovos recolhidos e que devem ser virados diariamente devendo ser recolocados ao final da postura. A finalidade de tal procedimento é simplesmente permitir que a eclosão ocorra simultaneamente, evitando discrepância de desenvolvimento entre os filhotes. Geralmente, os nascidos por último morrem, quando não se utiliza tal conduta.
 

Incubação
 
O período de incubação dura 13 dias, contados à partir da data em que os ovos são recolocados no ninho. Podem ocorrer atrasos de 1 ou 2 dias quando as fêmeas não são assíduas ao ninho. Os ovos são incubados exclusivamente pelas fêmeas, que deixam o ninho por breves períodos com a finalidade de se alimentarem e mesmo para defecar. Alguns machos costumam substituí-las nesse espaço de tempo. Nesse período o ambiente deve ser tranquilo e a manipulação da gaiola deve ser rápida para não incomodar a canária. Verificar se os ovos foram fertilizados é tarefa simples e pode ser realizada de várias maneiras: olhar os ovos contra a luz do sol, ou com lanterna, fazendo com que o facho de luz atravesse o ovo, ou ainda, utilizar uma pequena caixa dotada de lâmpada no seu interior e furo suficiente para receber o ovo para inspeção. Ao acender a lâmpada verifica-se por transparência o conteúdo do ovo. Por volta do 6º dia já se percebe a mancha avermelhada contendo vasos no seu interior e que ocupa quase a metade do ovo. Caso se perceba apenas a presença da gema, diz-se que o ovo está "branco". Quando, por qualquer razão, o criador deixa a inspeção para mais tarde - 11º - 12º dia - já encontrará um ovo totalmente opaco e que não permitirá a passagem de luz. Sua casca apresentará brilho e a superfície mais lisa ao tato. Retirar os ovos não fecundados é boa praxe. Se ocorrer de todos estarem brancos retira-se inclusive o ninho por 3 - 4 dias de modo a incentivar que a fêmea faça nova postura.
 

Eclosão
 
Completados 13 dias de incubação, os filhotes começam a nascer, um após o outro ou todos ao mesmo tempo. É comum que o nascimento ocorra à noite e pela manhã já se encontram todos os filhotes no ninho. Se o período de 13 dias for superado aguarde mais um ou dois dias.
 

Separação dos Filhotes
 

Entre o 15º e 20º dias os filhotes começam a deixar o ninho. Porém, a permanência no ninho até 20 dias é normal. A saída prematura é indesejável e representa algum tipo de problema: o menor deles é quando o filhote se assusta e salta fora do ninho. Recomenda-se não trocar o ninho após o 12º dia. Filhotes quando mal nutridos tendem a sair precocemente do ninho em busca de alimentação ( atrás dos pais ). Nestes casos não há muito o que fazer e tentar recolocá-los de volta é perda de tempo. Por outro lado, os bens criados, deixam o ninho de modo tranqüilo, completamente emplumados e sem mostrar desespero por alimentação.

Acontece que, de um modo geral, tende a ocorrer a debicagem dos filhotes. Algumas fêmeas deixam completamente desnudos seus filhos o que representa uma tragédia para o futuro: dificilmente se formará uma plumagem normal. Ao se perceber os primeiros sinais de debicagem o criador deve interferir seja separando os filhotes com uma grade divisória, seja fornecendo material para confecção do novo ninho. Sugerimos que os filhotes passem a metade do dia com o macho e a outra metade sozinhos. Colocando-se a farinhada de ambos os lados tanto a fêmea quanto o macho tratarão dos filhotes e, ainda estaremos proporcionando a oportunidade para que o macho fertilize, quando estiverem juntos.

Quando os filhotes estiverem comendo sozinhos é chegada a hora da separação, geralmente, ocorre entre o 28º e 30º dias. Separados deverão ser colocados em uma voadeira de modo que possam se exercitar e serem levados para os "banhos" de sol e água.

 

Dicas Complementares
 

A separação dos filhotes precocemente pode causar a sua morte prematura. Certifique-se de que estejam se alimentando sozinhos, observando seu comportamento com relação à água, sementes e farinhada. Quando solicitam insistentemente aos pais para que os alimentem é sinal de que, são dependentes.

Ao separar os filhotes procure não colocá-los juntos com pássaros de idades muito diferentes sugerimos que essa diferença não seja superior a 20 dias. É uma questão de competição e os mais velhos sempre levam a melhor.

A higienização do material: poleiros, grades, bandeja e do próprio cômodo deve ser executada periodicamente a fim de evitar a propagação de doenças. Recomendamos a leitura de artigos exclusivos a este fim.

A prevenção do desenvolvimento de ácaros, piolhos tipo "vermelhinhos" e insetos dentro do criadouro é fundamental e pode ser realizada de várias maneiras. A quarentena é a melhor maneira de se evitar problemas futuros. Recomendamos 30 dias de observação do exemplar antes do introduzi-lo no plantel.

 

Vitaminas
 

As vitaminas são imprescindíveis para a manutenção do perfeito funcionamento do organismo. Elas favorecem a assimilação dos alimentos, são importantes para o crescimento e para a fertilidade. Influem na plumagem e na resistência orgânica. Cada vitamina é responsável por uma função específica, e a carência de uma delas gera problemas que afetam todo o organismo.

Vitamina A: Essencialmente para o crescimento da ave atua sobre a audição, visão e o equilíbrio da ave.
Encontra-se nas verduras, na casca de maçã, cenoura, gema de ovo e no óleo de fígado de bacalhau.

Vitamina B: Atua no sistema nervoso, previne doenças do fígado, rins e coração.
Encontra-se na levedura de cerveja, trigo, cascas das sementes, verduras, gema de ovo, tomate.

Vitamina B1: Atua no desenvolvimento muscular, sistema nervoso, postura e desenvolvimento do embrião.
Encontra-se na maçã, gema de ovo.

Vitamina B2: Atua nos ovos, dando maior fertilidade, crescimento dos filhotes e sistema nervoso, a falta pode causar raquitismo e o peso baixo.
Encontra-se no alpiste, gema de ovo, leite, óleo de fígado de bacalhau.

Vitamina B3: Fortifica e mantem a textura da pela.
Encontra-se na gema de ovo e nas sementes.

Vitamina B6: Atua sobre o fígado, sistema nervoso, crescimento e a pele.
Encontra-se nos cereais, almerião e gema de ovo.

Vitamina B12: Necessária no crescimento e nascimento dos filhotes.
Encontra-se nos complexos vitaminicos como: farinha de peixe, complexo B, Vitamina A, Daiamineral, Gerval em pó e Terragran.

Vitamina C: Previne das enfermidades infecciosas no aparelho respiratório.
Encontra-se nas frutas frescas, alimento verde.

Vitamina D: Atua na boa formação ossea, combate o raquitismo.
Encontra-se na natureza através dos raios solares, no óleo de fígado de bacalhau, gema de ovo e verduras.

Vitamina E: Atua na reprodução, ajudando numa boa fecundação dos ovos.
Encontra-se no óleo de germe de trigo, gema de ovo e verduras.

Cálcio: Um forte componente para a formação e reforço do esqueleto, e do aparelho reprodutor das fêmeas.
Encontra-se no osso de ciba, farinha de ostra e nos ossos de peixe.

 

Muda de Penas
 

Embora sejam muito resistentes, as penas com o tempo começam a perder o brilho e desgastar e precisam ser trocadas.

A muda é um processo normal na vida das aves, relacionado a fatores biológicos ligados aos hormônios produzidos pela tireóide.

A muda ocorre todos os anos e inicia-se após a época de cria, ( não deve permitir que procriem até a época em que antecede a muda ). Se o pássaro foi bem alimentado irá mudar facilmente e não passará de 6 a 8 semanas. Nesta época a ave pode perder totalmente as penas ao mesmo tempo, mantendo sempre uma razoável quantidade para cobrir e proteger o corpo e voar.

Se a temperatura estiver elevada muito quente irá antecipar a muda do canário, mas terminará mais cedo. Em climas moderado e frescos ela atrasa um pouco.

É recomendado fornecer ao pássaro a dieta correta para esta ocasião, uma alimentação rica em cálcio ( osso de ciba ), casca de ovo, vegetais, uma mistura de grãos com maior quantidade de óleo e uma farinhada com ovo. Na água de beber será trocada diariamente e poderá acrescentar algumas gotas de complexos vitamínicos que contenha ferro.

Nos adultos a troca de pena: rabo, asas, e demais penas inicia-se do centro para as extremidades, nas asas a muda ocorre simultaneamente, no corpo ocorre a muda quase por inteiro, terminando na cabeça.

As penas caem naturalmente e devagar sendo que quase nem se percebe que o pássaro está na muda; se o pássaro voar com dificuldades, começar a aparecer a pele isto não é normal, e pode ter sido causado pela má alimentação ou outras causas.

Banhos de sol pela manhã ( 8 as 9 horas ) ajudam bastante na muda, manter as gaiolas limpas, evitando que o pássaro fique em correntes de ar, fornecer banheiras com água limpa para banhos.

 

A Muda nos Filhotes
 

Os filhotes nascem pelados com uma finíssima plumagem, e aos poucos vão aparecendo as penas e quando saem do ninho já estão empenados por inteiro. Os filhotes também mudam de pena em torno do terceiro ao quarto mês de vida, o que chamamos de muda de ninho, que é, o pássaro apenas muda as penas do peito e cabeça, as penas das asas e rabo só mudaram no próximo ano.

Mudas Precoces

As mudas precoces são consideradas aquelas em que as penas são trocadas fora da sua época normal: bruscas mudanças de ambiente, temperatura, sustos, acordar as aves durante o seu sono e entre outros fatores, são causadores de uma muda precoce. Um pássaro nestas condições é um pássaro triste e sempre esta encorujado ( embolado ), o pássaro não canta.

Devemos trata-los muito bem, administrando algumas vitaminas para tal e evitar o máximo em incomodar as aves.

 

Ave Saudável
 

Um pássaro saudável não fica com restos de comida ou sujeira no bico, pés e principalmente nas penas.

Durante o dia não fica embolado, nem com a cabeça debaixo da asa.

Fora da época da muda, a plumagem está sempre perfeita.

Uma ave com boa saúde dificilmente fica parada no mesmo poleiro.

Quando não estão doentes, os pássaros gostam de tomar banhos, não se importando com a temperatura ambiente.

Pegando uma ave saudável na mão, você não perceberá a ossatura no peito, e a pele do abdômen terá cor normal, sem pontos pretos ou arroxeados.

A respiração é normal e o pássaro sadio não fica ofegante depois de voar.

As asas são simétricas e descansam naturalmente sobre o corpo.

Os olhos permanecem sempre abertos e as penas não são arrepiadas.

É possível perceber a vivacidade de um pássaro sadio; os doentes ficam geralmente amuados e quietos.

 

Recado ao criador
 

Acima de tudo, criar canários é uma arte que requer dedicação e paciência. Porém existem pormenores que precisam ser encarados e superados com coragem, o criador principiante, devido ao entusiasmo que lhe é peculiar, toma determinadas atitudes que às vezes levam ao desestímulo, chegando até a desistência. Uma crosta no pé dos canários muitas vezes se torna o fim de uma criação, assim é preciso persistência até que tudo se torne desafios para um profissional.

 

Dicas para o Criador
 

Aqui vão meias dúzias de dicas ao criador principiante

1) Escolher e definir a linhagem que pretende criar.
2) Criar por amor e nunca objetivando lucros.
3) Se empenhar para o melhoramento da qualidade.
4) Fazer dos obstáculos ( problema respiratório, piolho, morte, entre outros ) uma fonte de experiência.
5) Cuidar rigorosamente da higiene e alimentação.
6) Acasalar na época certa os casais certos.

· Um criador que concilia todas essas coisas, a tendência é ter um bom desempenho na criação e cada vez mais aprender, ensinar, reproduzir e, quem sabe, até virar um campeão.

OUTRAS DICAS IMPORTANTES

Água - deve ser filtrada e trocada diariamente;

Bebedouros - devem ser automáticos, para evitar o contato das fezes com a água e lava-los diariamente;

Alimentos - não misturar no mesmo recipiente diversos alimentos, devem ser sempre frescos e as sementes servidas à vontade;

Verduras - devem ser bem lavadas e servidas frescas, devemos utilizar: couve, espinafre, escarola, almeirão e chicória. NUNCA devemos utilizar alface que poderia ser fatal, provocando diarréia;

Frutas - devemos utilizar: maçã, laranja, etc;

Comedouros - devem ser lavados pelo menos uma vez por semana;

Gaiolas - não expor às correntes de ar, devem ser colocadas em local de boa claridade;

Higiene - mantenha a gaiola sempre limpa, para evitar o contato do pássaro com suas fezes, a maioria das pessoas utiliza o revestimento do fundo com papel ( jornal ) o que facilita a limpeza, nestes casos o fundo deve ser lavado semanalmente;

Poleiros - devem ser limpos e desinfetado a cada 15 ou 20 dias, para evitar aparecimento de piolho;

Banheiras - devem ser colocas pela manhã e retirada após o banho;

Banho de Sol - Os pássaros devem ser submetidos a um banho de Sol diariamente pela manhã até às 10 horas. Caso não seja possível, deve ser submetido pelo menos 2 vezes por semana.

 

Sementes
 

O Canário como qualquer ser vivo, ingere alimentos para fazer funcionar seu organismo, isto é: para manter a temperatura do corpo, fazer o metabolismo funcionar, repor tecidos, trocar penas, se movimentar, se reproduzir, etc, etc.

São pássaros granívoros e, portanto, as sementes representam a parte mais importante de sua dieta, que deve ser complementada por uma ração, antigamente chamada de farinhada. Juntos, sementes e ração, devem prover e adequar os alimentos fornecidos às diferentes necessidades de nossos pássaros.

 

Aspectos Nutricionais
 

Alpiste: Como já sabemos o alpiste é a principal semente usada na dieta do canário, deve entrar na mistura com, pelo menos, 60% do total. Sua composição é rica em proteínas, hidrato de carbono, lipídios, vitaminas B1 e E, etc. Os hidratos de carbono produzem calorias, mantendo a saúde da ave, facilitando a digestão.

Aveia: É um excelente provedor de energia, muito rico em amido, e especialmente rico em lisina e cistina, dois dos principais aminoácidos essenciais. Deve ser utilizada no balanceamento da mistura como o principal provedor de Carboidratos exercendo ação benéfica sobre o aparelho digestivo, semelhante ao grão de trigo e arroz com casca. O risco desta semente é a alta manifestação de fungos e outras formas de vida indesejáveis, que podem causar sérios danos à saúde dos pássaros.

Colza: Uma semente rica em proteínas, ótima para o desenvolvimento da glândula tireóide, músculos, penas, vísceras, tendões, possui ainda hidrato de carbono, vitaminas, uma semente oleosa e gordurosa, semente de cor escura, em forma de esfera.

Níger: Uma semente muito apreciada pelo nossos pássaros, tem elevado teor de Proteínas e Gorduras, como a colza esta também é uma semente escura e comprida, é recomendada mais na época de criação mas podendo ser fornecida o ano todo, também possui bastante óleo, sendo um bom fortificante das matérias corantes dos canários.

Linhaça: Também é bastante oleosa, rica em proteínas, é recomendada ser fornecida as aves na época de muda de pena, pois acentua o brilho das penas.

Nabão: É utilizado também nos canários de canto, uma semente macia, é bem oleosa, rica em gordura e hidrato de carbono.

Proteínas X Carboidratos X Lipídeos

Proteinas: São compostos nitrogenados, absolutamente necessários aos processos metabólicos de crescimento, reposição de tecido, formação de matéria viva, massa muscular, esqueleto, muda de penas, etc. Suas necessidades em períodos de repouso são críticas para o sucesso da criação.

Carboidratos: São os provedores de energia para o organismo, sendo necessários para prover calor, fazer funcionar o organismo, enfim, é o combustível da máquina chamada Canário.

Lipídios: São as gorduras, ( graxas ou Extrato de etéreo ). São compostos com alta carga de energia ( 2,25 vezes mais que os carboidratos ). É em forma de gordura que as aves e os outros animais armazenam energia no corpo para atender às situações de carência alimentar.

 

Composição das Sementes
 


Composição Média das Sementes

Sementes
Proteínas %
Carboidratos %
Lipídeos %
Alpiste

15

50

45

Aveia

11

65

9

Colza

19

19

43

Niger

22

19

39

Linhaça

24

25

36

Nabão

20

13

40

Dosagem que administro conforme Tabela.

Os Valores estão em gramas.

Primavera
Verão
Outono
Inverno
Alpiste

700

700

1000

800

Aveia

150

100

100

150

Colza

100

150

150

150

Niger

200

100

150

200

Linhaça

100

100

150

150

Nabão

150

100

100

100

Padronize sua alimentação e desde que esteja dando certo não mude. Existem milhares de fórmulas, você acabará adotando a sua própria de acordo com suas conveniências.

 

Alimentação
 

Como todo ser vivo, as necessidades de alimentos variam em função das fases da vida, da temperatura ambiente, do clima em que os canários vivem. Se estão em muda; a troca de penas é um processo extremamente penoso e crítico para os pássaros, exigindo elementos nutritivos especiais, suas necessidades são diferentes, por exemplo, da pós-muda, quando estão aguardando a nova estação de cria, se exercitando nas voadeiras, cantando, brigando entre si. Durante a reprodução, a cria dos filhotes exige muito das fêmeas, que se estressam e ficam mais vulneráveis às doenças oportunistas.

Podemos dividir em três, as fases em que os canários têm necessidades de alimentação distintas: Reprodução, Período de Muda e Repouso.

Reprodução: A recomendação para nossos canários é que neste período, os teores de Proteínas sejam mais elevados devido às necessidades dos filhotes, e os teores de Carboidratos e Lipídeos sejam menores, pois assim os canários serão levados à ingerir mais alimentos para atender as suas necessidades calóricas.

Muda: Nesse período, as gorduras são mais desejadas, pelo efeito positivo sobre a formação das penas, e deposição de lipocromo. Os grãos escuros ( colza, niger, linhaça, cânhamo ), usados sempre com parcimônia, devido aos altos teores de gordura em suas composições.

Repouso: Neste período, quando as Proteínas são menos necessárias, as Energias feverão ter seus teores elevados ( Carboidrados e Lipídios ).

Verduras: Fornecer verduras e legumes, tais como almeirão, couve, jiló, chicória e pepino... são muito úteis como complemento alimentar especialmente na época da muda de penas. As verduras são ricas em várias vitaminas além de ajudar o bom funcionamento do intestino. Usá-las com parcimônia e levar em conta que um canário pesa por volta de 10 a 15 gramas, não deve comer uma folha inteira de couve ou almeirão.

Padronize sua alimentação e desde que esteja dando certo não mude. Existem milhares de fórmulas de farinhadas. Você acabará adotando a sua própria de acordo com suas conveniências. No mais, sucesso na próximo estação.

Ovos: Fornecer duas vezes por semana ovos cozidos. São ricos em vitamina E e Proteína.

Areia: Nós criadores sabemos que as aves em geral não possuem dentes, como nos canários o processo de digestão ocorre quando os músculos da moela se contraem triturando os grãos de alimento ingeridos, é nesse processo que a areia desempenha um papel fundamental. É a areia que permite que a "trituragem" que antecede à digestão se proceda de maneira completa, permitindo que a ave possa extrair do alimento todo o seu valor nutritivo. A areia que é ingerida pela ave vai para moela, fazendo as vezes dos dentes, ajudando a triturar e facilitando a digestão dos alimentos. Por esta razão o canário deve sempre ter à sua disposição uma quantidade de areia grossa, lavada e peneirada, se possível esterilizada e seca ao sol, pode-se acrescentar junto desta areia a casca de ovo que pode ser fervida e moída ou triturada no liqüidificador após secar ao sol por alguns dias, a casca não deve ser triturada muito no liquidificador para evitar que vire pó, e que fique num tamanho em que o canário possa escolher, onde junto com a areia irá na moela. A casca de ovo é uma rica fonte de cálcio o qual é indispensável para a vida das aves. A areia deve permanecer diariamente pois as aves saberão quanto e quando se alimentar.

Água: Como em todos os seres vivos a maior parte que constitue o corpo é água, como não poderia de ser os canários também possuem água em seu corpo 60%. Uma ave pode ficar sem comer e perder suas gorduras e proteínas e ainda sobreviverá, enquanto que a perca de 15% de água resultará em sua morte.
Os canários deve ter a sua disposição um pote de água para beber e outro para se banhar. A água a ser fornecida para o consumo da ave deve ser fresca e limpa, livre de impurezas.

A água é um dos alimentos que não há substituto, ele só vai ingerir aquela, por este motivo quando tiver de administrar remédios e vitaminas faz-se por via desta, pois a ave será obrigada a ingerir. No organismo da ave se faz necessário pois a mesma transporta materiais de uma parte do corpo para outra e executa funções importantes na regulação da temperatura do organismo dos canários. A quantidade de água a ser consumida pelos canários em relação aos alimentos chega a ser numa proporção de 3 partes de água para uma parte de alimento ingerido.

A água deve ser trocada todos os dias, evitando assim o acumulo de limo nos bebedouros que é prejudicial a ave, evite que fiquem expostos aos raios solares, porque a água esquenta e pode causar diarréia as aves.

Quanto a água de beber em viveiros e voadeiras estas devem ser colocadas do lado externo como nas gaiolas, se não for possível é aconselhável que não se coloque as vasilhas debaixo dos poleiros, para evitar que as aves defequem dentro dos bebedouros, podendo contaminar a água. Quando houver excesso de cloro na água ( notável pelo cheiro forte e pelo paladar ), deve-se fervê-la.

 

   
©2004 - 2011 - Todos os direitos reservados à Associação Ornitológica do Planalto Central - AOPC
Criação: www.loganti.com.br